Marinho Chagas – Craque potiguar

Monumento em homenagem ao atleta está localizado na Praça da Árvore

Marinho Chagas nasceu em 8 de fevereiro de 1952. Defendeu a Seleção Brasileira entre 1973 e 1974, tendo feito quatro gols. Chegou a ser treinador no Alecrim F. C e comentarista de futebol na TV Bandeirantes, em Natal.  Ele ficou conhecido entre os companheiros do Botafogo como a “Bruxa”, onde jogou de 1972 a 1976, depois de ter iniciado a carreira no Riachuelo, onde jogou de 1967 a 1968. Daí foi para o ABC, onde ficou dois anos e ganhou o título de 1970, o primeiro do tetracampeonato do alvinegro.

O potiguar ganhou três vezes a “Bola de Prata”, o maior troféu da imprensa esportiva concedido pela revista “Placar”, da editora Abril, em 1972, 1973 e 1981. Este ano, foi homenageado com uma estátua de sete metros elaborada pelo artista plástico Guaraci Gabriel. O monumento está instalado na Praça da Árvore, em Mirassol, desde 24 de abril. Informações: Tribuna do Norte.

Luto no esporte brasileiro

Marinho Chagas aguardava ansioso início da Copa

Um domingo de luto para o esporte brasileiro.  O ex-jogador da seleção brasileira, Marinho Chagas, faleceu esta madrugada aos 62 anos, em João Pessoa. Ele se sentiu mal durante um encontro de colecionadores de figurinhas da Copa do Mundo. Numa unidade de saúde da capital paraibana constatou-se hemorragia digestiva. O velório do craque potiguar acontecerá no Frasqueirão e o sepultamento no cemitério Morada da Paz.

E ontem à noite, também faleceu o narrador e apresentador esportivo Maurício Torres. Ele estava internado desde o dia 1° de maio, no hospital Sírio Libanês, em São Paulo, quando se sentiu mal durante um voo do Rio de Janeiro a São Paulo. Na época, foi constatada uma arritmia cardíaca – e não infarto. Submetido a exames mais rigorosos, constatou-se a existência de uma infecção, que mesmo combatida à base de antibióticos, não regrediu agravando o seu estado.

Liege Barbalho